Translate

sábado, 20 de agosto de 2016

SO PALAVREANDO




Conversando na sala de casa, Eu, Al, Sara, Pedro e Vovó Nini, a palavra Camisinha de Vênus veio a tona e logo fui pesquisar, li para todos o texto de 2 fontes. É um assunto interessante e que rende  matéria aqui no Palavreando. Na verdade teremos 2 ou 3 postagens sobre o assunto.
Porém e sugiro que vocês queridos leitores, deem uma passada nas fontes citadas.
Confesso que essa pesquisa me trouxe muitas informações desconhecidas para mim.
Catiaho Alc

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------                                                 FONTE> 

http://super.abril.com.br/blogs/historia-sem-fim/quem-inventou-a-camisinha-conheca-a-historia-do-preservativo/  

Quem inventou a camisinha? Conheça a história do preservativo                                                                                      POR Marcel Verrumo

Não há uma resposta definitiva e inquestionável para a pergunta acima: um manuscrito egípcio, datado de cerca de 2 mil antes de Cristo, indica que esse povo já utilizava um método para evitar a gravidez; mas, na mitologia grega, também está presente uma lenda que indica que os deuses também se preveniam, o que faz historiadores concluírem que a lenda reproduz um método existente nessa sociedade.

Na Pirâmide do Faraó

Um manuscrito médico egípcio, datado de 1850 a.C., aponta a existência de uma “camisinha” dos faraós, um pano empapado de mel e excremento de crocodilo (isso mesmo, cocô de crocodilo!). O artefato, que na verdade era uma espécia de camisinha feminina, era introduzido na vagina da mulher para evitar a gravidez.
O mito de Procris
Os gregos não ficam muito atrás. Uma lenda afirma que Procris, filha do rei Erechteus, de Atenas, se relacionou com Minos, filho de Zeus, o todo-poderoso. O problema é que o sêmen do herdeiro era cheio de serpentes e escorpiões, o que fez com que Procris tivesse que envolver o órgão do rapaz em uma bexiga de cabra. A lenda indica que os gregos já tinham seus métodos para evitar a transmissão de doenças durante as relações sexuais.
Depois de Cristo
No livro La Petite Histoire du Préservatif (“A pequena história do preservativo”), que narra toda a trajetória do artefato, o jornalista francês Vincent Vidal defende que ele foi inventado apenas no século 10, na Ásia. Ele afirma que chineses criaram uma camisinha usando papel de seda lubrificado com óleos. Enquanto isso, japoneses usavam um acessório de carapaça de tartaruga.
Prazer, Dr. Condom
O termo Condom (palavra que se refere à caminha em francês e inglês, por exemplo) também tem origem nebulosa. A teoria mais aceita é que a camisinha foi criada por um médico chamado Dr. Condom, médico da corte do rei inglês Charles II que viveu no século 17. O apetrecho seria de tripa de intestino de  carneiro.
De onde vem o termo “camisinha”?
Já o termo “camisinha” deve ter surgido graças ao dramaturgo inglês William Shakespeare, que chamou o artefato para proteger o pênis de “luva-de-vênus”, uma homenagem à deusa do amor. Em Portugês, tradutores optaram por “camisa-de-vênus”, expressão que parece ter dado origem ao nome atual.
Fonte: La Petite Histoire du Préservatif, de Vincent Vidal.
------------------------------------------------------------------------------------
FONTE>>
http://excite-friburgo.blogspot.com.br/2010/03/camisa-de-venus-ou-preservativo.html
POR Resumo para as aulas: Prof. João Angelo (1980-2013);
Fontes: BBC Brasil; 
Páginas eletrônicas: www.durex.com ; www.safesense.com ; www.aids.org.br .

CURIOSIDADES sobre os PRESERVATIVOS:


a) Parte dos preservativos que não passam no controle de qualidade são vendidas a fábricas de brinquedos. As camisinhas, que têm a ponta cortada para evitar revenda, são utilizadas como uma espécie de diafragma para fazer as bonecas chorarem.
b) Os habitantes de Komi, na Rússia, compravam bebidas vendidas em grandes tonéis que ficavam nas ruas e precisavam de garrafas para fazer o transporte até suas casas. Na falta das garrafas, um homem descobriu que camisinhas russas eram tão grossas e resistentes que poderiam ser usadas como recipientes ideais para levar a bebida: podiam carregar até 3 litros.

c) Durante muitos anos, os habitantes de Condom lamentaram o nome dessa cidade francesa. Até que, em 1997, o prefeito resolveu que a cidade deveria ser a capital mundial do preservativo. Numa antiga garagem da Citroën, por exemplo, ele deu incentivo fiscal para a abertura de uma fábrica de camisinhas. Em 2000, Condom inaugurou também o 1° museu de preservativos do mundo, com 1.800 peças na época. Desde então, a cidade passou a receber uma média de 300 mil visitantes por ano.

d) O governo americano vendeu um lote de 50 milhões de preservativos para o Egito, mas descobriu-se depois que uma parte deles foi comprada por grandes atacadistas, que enviaram os preservativos para as zonas rurais, onde foram vendidos como balões para crianças.
e) Um juiz em Toronto, no Canadá, condenou Charles Tumwesigye a 45 dias de prisão por ter tirado a camisinha no meio da relação sexual, sem a autorização de sua parceira.
f) A inventora de cuecas e calcinhas com porta-camisinhas foi a americana Natalie Lerma-Solis.

g) O gerente do cinema London´s Prince Charles Theatre, Ben Freedman, resolveu instalar love seats (cadeiras em que os braços se levantam para que os namorados possam ficar juntos) na última fila de sua sala e colocou camisinhas em cada assento. A propaganda e a distribuição de camisinhas só foi liberada no Brasil em 1979. A 1ª propaganda foi do preservativo Involve na revista Playboy.

h) Em 2002, o grupo de rock Kiss lançou uma linha de preservativos com seu nome. As embalagens vem com fotos dos integrantes estampadas. A primeira série, em látex roxo, chamou-se Tongue Lubricated (Língua Lubrificada). Também há uma a imagem do guitarrista Paul Stanley, batizada de Studed Paul (Paul Garanhão), e outra com o nome Love Gun Protection (Arma de Proteção Amorosa).
i) Um preservativo amarelo cobriu a fachada de um hotel de 20 andares na cidade de Guilin, no sul da China, para marcar o Dia Mundial da ONU para a População. A empresa Guilin Latex pediu aos editores do Guinness Book of World Records para reconhecerem o preservativo gigante, de 80 metros de altura, como a maior do mundo. Segundo a agência China News Service, a camisinha custou mais de 24 mil dólares e tinha a mensagem "Controle o crescimento populacional, preste atenção à sua saúde sexual, previna a SIDA".
j) Uma empresa suíça lançou em Março de 2010 uma gama de preservativos especiais para adolescentes, depois de vários estudos terem revelado que os rapazes têm dificuldade em encontrar preservativos que lhes sirvam. O novo preservativo, denominado “Hotshot”, foi desenhado para rapazes entre os 12 e os 14 anos e tem 4,5 cm de diâmetro, enquanto o preservativo normal tem 5,2 cm. Ambos têm 19 cm de comprimento.
Em comunicado de imprensa, a empresa responsável pelo fabrico, Lamprecht AG, cita um estudo do governo suíço que revelou que os jovens entre os 12 e os 14 anos não se protegem suficientemente nas relações sexuais. O estudo, realizado pela Comissão Federal para a Infância e Juventude, entrevistou 1.480 jovens entre os 10 e os 20 anos e concluiu que há um "comportamento de risco” na faixa etária dos 12 aos 14 anos e que, em comparação com a década de 1990, os jovens estão a praticar mais sexo.
No momento, o preservativo só será vendido na Suíça, mas a empresa pondera lançá-lo em outros mercados, nomeadamente, no Reino Unido, país da Europa com a taxa mais elevada de gravidez na adolescência.
Fonte: ALERT Life Sciences Computing, S.A. em 11/3/2010.

RESUMO HISTÓRICO:
350 1220 a.C: Os egípcios usavam “capinhas” de espada em volta do pênis para proteger contra insetos, ferimentos e picadas de mosquito.
100 - 200 d.C: Pinturas encontradas nas cavernas de Dordogne, no sul da França, mostram que o homem já usava preservativos.
1500s - O médico italiano Gabrielle Fallopius fabricou uma camisinha à base de linho, cortada sob medida para cada homem. Dos mais de mil homens que usaram o produto, nenhum contraiu sifílis.
1700s - O uso da camisinha era extremamente popular, principalmente como método anticoncepcional. Os preservativos eram feitos à base de tripa animal.
1800s - Os japoneses criaram uma camisinha feita com um couro bem fino.
1843 - A descoberta revolucionária da vulcanização da borracha (adicionando enxofre e submetendo-a ao calor) permitiu que as camisinhas se tornassem mais elásticas e fossem produzidas a custos baixos.
1930s - O látex líquido substituiu a vulcanização da borracha na fabricação os preservativos.
1990s - A tecnologia do látex continuou a se desenvolver e surgiram ainda as camisinhas de poliuretano (-NHCO2-).
2010 - A empresa suíça Lamprecht AG lançou preservativos especiais para adolescentes (rapazes entre os 12 e os 14 anos) denominado “Hotshot”, com 4,5 cm de diâmetro (enquanto o preservativo normal tem 5,2 cm). Ambos têm 19 centímetros de comprimento.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Palavras são sementes. (Al-Kantara)