Translate

sábado, 20 de agosto de 2016

SO PALAVREANDO




Conversando na sala de casa, Eu, Al, Sara, Pedro e Vovó Nini, a palavra Camisinha de Vênus veio a tona e logo fui pesquisar, li para todos o texto de 2 fontes. É um assunto interessante e que rende  matéria aqui no Palavreando. Na verdade teremos 2 ou 3 postagens sobre o assunto.
Porém e sugiro que vocês queridos leitores, deem uma passada nas fontes citadas.
Confesso que essa pesquisa me trouxe muitas informações desconhecidas para mim.
Catiaho Alc

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------                                                 FONTE> 

http://super.abril.com.br/blogs/historia-sem-fim/quem-inventou-a-camisinha-conheca-a-historia-do-preservativo/  

Quem inventou a camisinha? Conheça a história do preservativo                                                                                      POR Marcel Verrumo

Não há uma resposta definitiva e inquestionável para a pergunta acima: um manuscrito egípcio, datado de cerca de 2 mil antes de Cristo, indica que esse povo já utilizava um método para evitar a gravidez; mas, na mitologia grega, também está presente uma lenda que indica que os deuses também se preveniam, o que faz historiadores concluírem que a lenda reproduz um método existente nessa sociedade.

Na Pirâmide do Faraó

Um manuscrito médico egípcio, datado de 1850 a.C., aponta a existência de uma “camisinha” dos faraós, um pano empapado de mel e excremento de crocodilo (isso mesmo, cocô de crocodilo!). O artefato, que na verdade era uma espécia de camisinha feminina, era introduzido na vagina da mulher para evitar a gravidez.
O mito de Procris
Os gregos não ficam muito atrás. Uma lenda afirma que Procris, filha do rei Erechteus, de Atenas, se relacionou com Minos, filho de Zeus, o todo-poderoso. O problema é que o sêmen do herdeiro era cheio de serpentes e escorpiões, o que fez com que Procris tivesse que envolver o órgão do rapaz em uma bexiga de cabra. A lenda indica que os gregos já tinham seus métodos para evitar a transmissão de doenças durante as relações sexuais.
Depois de Cristo
No livro La Petite Histoire du Préservatif (“A pequena história do preservativo”), que narra toda a trajetória do artefato, o jornalista francês Vincent Vidal defende que ele foi inventado apenas no século 10, na Ásia. Ele afirma que chineses criaram uma camisinha usando papel de seda lubrificado com óleos. Enquanto isso, japoneses usavam um acessório de carapaça de tartaruga.
Prazer, Dr. Condom
O termo Condom (palavra que se refere à caminha em francês e inglês, por exemplo) também tem origem nebulosa. A teoria mais aceita é que a camisinha foi criada por um médico chamado Dr. Condom, médico da corte do rei inglês Charles II que viveu no século 17. O apetrecho seria de tripa de intestino de  carneiro.
De onde vem o termo “camisinha”?
Já o termo “camisinha” deve ter surgido graças ao dramaturgo inglês William Shakespeare, que chamou o artefato para proteger o pênis de “luva-de-vênus”, uma homenagem à deusa do amor. Em Portugês, tradutores optaram por “camisa-de-vênus”, expressão que parece ter dado origem ao nome atual.
Fonte: La Petite Histoire du Préservatif, de Vincent Vidal.
------------------------------------------------------------------------------------
FONTE>>
http://excite-friburgo.blogspot.com.br/2010/03/camisa-de-venus-ou-preservativo.html
POR Resumo para as aulas: Prof. João Angelo (1980-2013);
Fontes: BBC Brasil; 
Páginas eletrônicas: www.durex.com ; www.safesense.com ; www.aids.org.br .

CURIOSIDADES sobre os PRESERVATIVOS:


a) Parte dos preservativos que não passam no controle de qualidade são vendidas a fábricas de brinquedos. As camisinhas, que têm a ponta cortada para evitar revenda, são utilizadas como uma espécie de diafragma para fazer as bonecas chorarem.
b) Os habitantes de Komi, na Rússia, compravam bebidas vendidas em grandes tonéis que ficavam nas ruas e precisavam de garrafas para fazer o transporte até suas casas. Na falta das garrafas, um homem descobriu que camisinhas russas eram tão grossas e resistentes que poderiam ser usadas como recipientes ideais para levar a bebida: podiam carregar até 3 litros.

c) Durante muitos anos, os habitantes de Condom lamentaram o nome dessa cidade francesa. Até que, em 1997, o prefeito resolveu que a cidade deveria ser a capital mundial do preservativo. Numa antiga garagem da Citroën, por exemplo, ele deu incentivo fiscal para a abertura de uma fábrica de camisinhas. Em 2000, Condom inaugurou também o 1° museu de preservativos do mundo, com 1.800 peças na época. Desde então, a cidade passou a receber uma média de 300 mil visitantes por ano.

d) O governo americano vendeu um lote de 50 milhões de preservativos para o Egito, mas descobriu-se depois que uma parte deles foi comprada por grandes atacadistas, que enviaram os preservativos para as zonas rurais, onde foram vendidos como balões para crianças.
e) Um juiz em Toronto, no Canadá, condenou Charles Tumwesigye a 45 dias de prisão por ter tirado a camisinha no meio da relação sexual, sem a autorização de sua parceira.
f) A inventora de cuecas e calcinhas com porta-camisinhas foi a americana Natalie Lerma-Solis.

g) O gerente do cinema London´s Prince Charles Theatre, Ben Freedman, resolveu instalar love seats (cadeiras em que os braços se levantam para que os namorados possam ficar juntos) na última fila de sua sala e colocou camisinhas em cada assento. A propaganda e a distribuição de camisinhas só foi liberada no Brasil em 1979. A 1ª propaganda foi do preservativo Involve na revista Playboy.

h) Em 2002, o grupo de rock Kiss lançou uma linha de preservativos com seu nome. As embalagens vem com fotos dos integrantes estampadas. A primeira série, em látex roxo, chamou-se Tongue Lubricated (Língua Lubrificada). Também há uma a imagem do guitarrista Paul Stanley, batizada de Studed Paul (Paul Garanhão), e outra com o nome Love Gun Protection (Arma de Proteção Amorosa).
i) Um preservativo amarelo cobriu a fachada de um hotel de 20 andares na cidade de Guilin, no sul da China, para marcar o Dia Mundial da ONU para a População. A empresa Guilin Latex pediu aos editores do Guinness Book of World Records para reconhecerem o preservativo gigante, de 80 metros de altura, como a maior do mundo. Segundo a agência China News Service, a camisinha custou mais de 24 mil dólares e tinha a mensagem "Controle o crescimento populacional, preste atenção à sua saúde sexual, previna a SIDA".
j) Uma empresa suíça lançou em Março de 2010 uma gama de preservativos especiais para adolescentes, depois de vários estudos terem revelado que os rapazes têm dificuldade em encontrar preservativos que lhes sirvam. O novo preservativo, denominado “Hotshot”, foi desenhado para rapazes entre os 12 e os 14 anos e tem 4,5 cm de diâmetro, enquanto o preservativo normal tem 5,2 cm. Ambos têm 19 cm de comprimento.
Em comunicado de imprensa, a empresa responsável pelo fabrico, Lamprecht AG, cita um estudo do governo suíço que revelou que os jovens entre os 12 e os 14 anos não se protegem suficientemente nas relações sexuais. O estudo, realizado pela Comissão Federal para a Infância e Juventude, entrevistou 1.480 jovens entre os 10 e os 20 anos e concluiu que há um "comportamento de risco” na faixa etária dos 12 aos 14 anos e que, em comparação com a década de 1990, os jovens estão a praticar mais sexo.
No momento, o preservativo só será vendido na Suíça, mas a empresa pondera lançá-lo em outros mercados, nomeadamente, no Reino Unido, país da Europa com a taxa mais elevada de gravidez na adolescência.
Fonte: ALERT Life Sciences Computing, S.A. em 11/3/2010.

RESUMO HISTÓRICO:
350 1220 a.C: Os egípcios usavam “capinhas” de espada em volta do pênis para proteger contra insetos, ferimentos e picadas de mosquito.
100 - 200 d.C: Pinturas encontradas nas cavernas de Dordogne, no sul da França, mostram que o homem já usava preservativos.
1500s - O médico italiano Gabrielle Fallopius fabricou uma camisinha à base de linho, cortada sob medida para cada homem. Dos mais de mil homens que usaram o produto, nenhum contraiu sifílis.
1700s - O uso da camisinha era extremamente popular, principalmente como método anticoncepcional. Os preservativos eram feitos à base de tripa animal.
1800s - Os japoneses criaram uma camisinha feita com um couro bem fino.
1843 - A descoberta revolucionária da vulcanização da borracha (adicionando enxofre e submetendo-a ao calor) permitiu que as camisinhas se tornassem mais elásticas e fossem produzidas a custos baixos.
1930s - O látex líquido substituiu a vulcanização da borracha na fabricação os preservativos.
1990s - A tecnologia do látex continuou a se desenvolver e surgiram ainda as camisinhas de poliuretano (-NHCO2-).
2010 - A empresa suíça Lamprecht AG lançou preservativos especiais para adolescentes (rapazes entre os 12 e os 14 anos) denominado “Hotshot”, com 4,5 cm de diâmetro (enquanto o preservativo normal tem 5,2 cm). Ambos têm 19 centímetros de comprimento.

segunda-feira, 15 de agosto de 2016

Em algumas areas eu sou e outras eu não sou mais NEÓFITA e vocês?


A vida me ensina muito no dia a dia, porém sempre serei iniciante em alguma área e "o viver bem comigo e com outros"  especialmente é um grande aprendizado.
A convivência e o envolvimento com pessoas (gente) é um aprendizado constante e talvez nesse assunto eu ainda não tenho certeza se desejo SER NEÓFITA OU NÃO. 
Pois nunca gostei de insistir em algo que não me dê resultado favorável.ou seja reciproco.
Como Catiaho Alc., Tenho necessidade de respostas, sou como Clarice diz:
"Enquanto eu tiver perguntas e não houver resposta continuarei a escrever."
Clarice Lispector LISPECTOR, C. A Hora da Estrela. 12 ed. Rio de Janeiro: Rocco, 1998.
Enquanto não tiver resposta para algo que acredito  me valer a pena eu sigo indagando.
Mas voltemos a vaca fria como se diz:
Vamos ao  SIGNIFICADO DA PALAVRA:
ne·ó·fi·to 
(latim neophytus-i)
substantivo masculino
1. [Religião Pessoa que acaba de receber o .batismo.
2. [Figurado]  Novatoprincipiante.

"neófito", in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa [em linha], 2008-2013,

Principiante, novo em fazer alguma coisa.

Definição de Neófito
Classe gramatical: substantivo masculino
Feminino: neófita
Separação das sílabas: ne-ó-fi-to
Plural: neófitos

RIMAS COM NEÓFITO

  • zoófito
  • osteófito
  • lofófito
  • pirófito
  • pelagófito
  • nanofanerófito
  • endófito
  • eófito
  • biófito
  • talassiófito
  • xerófito
  • esclerófito
  • sincariófito
  • talófito
  • mixófito
  • esquizófito
  • sistelófito
  • pectófito
  • entomófito
  • axófito
  • entófito
  • hematófito
  • napófito
  • halófito

segunda-feira, 25 de julho de 2016

PA RA DO XO, Palavra que me Fascina e Intriga.

"Quando depender de vós, tende paz com todos. (Bíblia, romanos 12, verso 18).

Diante desse verso bíblico eu fico completamente presa ao termo, pois  em mim, ainda que haja guerra dentro, busco a paz com os que vivem ao meu redor. Minhas batalhas interior são resultado do desejo de amadurecer e evoluir, porém o meu degrau nunca é o mesmo que os demais, pois cada um amadurece a seu tempo e modo. Mas se fora há os que me contradigam guerreando até com palavras e atos, dentro em mim, eu tenho profunda paz por ter a certeza de meus atos.  

Paradoxo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.https://pt.wikipedia.org/wiki/Paradoxo
Disambig grey.svg Nota: Para a figura de estilo, veja Paradoxo (figura de estilo).
O copo com autofluxo de Robert Boyle preenche a si próprio neste diagrama, mas máquinas de moto-contínuo não existem
Um paradoxo é uma declaração aparentemente verdadeira que leva a uma contradição lógica, ou a uma situação que contradiz a intuição comum. Em termos simples, um paradoxo é "o oposto do que alguém pensa ser a verdade". A identificação de um paradoxo baseado em conceitos aparentemente simples e racionais tem, por vezes, auxiliado significativamente o progresso da ciênciafilosofia ematemática.
etimologia da palavra paradoxo pode ser traçada a textos que remontam à aurora da Renascença, um período de acelerado pensamento científico na Europa e Ásia que começou por volta do ano de 1500. As primeiras formas da palavra tiveram por base a palavra latina paradoxum, mas também são encontradas em textos em grego como paradoxon (entretanto, o latim é fortemente derivado do alfabeto grego e, além do mais, o português é também derivado do latim romano, com a adição das letras "J" e "U"). A palavra é composta do prefixo para-, que quer dizer "contrário a", "alterado" ou "oposto de", conjugada com o sufixo nominal doxa, que quer dizer opinião. Compare com ortodoxia e heterodoxo.
Na filosofia moral, o paradoxo tem um papel central nos debates sobre ética. Por exemplo, a admoestação ética para "amar o seu próximo" não apenas contrasta, mas está em contradição com um "próximo" armado tentando ativamente matar você: se ele é bem sucedido, você não será capaz de amá-lo. Mas atacá-lo preemptivamente ou restringi-lo não é usualmente entendido como algo amoroso. Isso pode ser considerado um dilema ético. Outro exemplo é o conflito entre a injunção contra roubar e o cuidado para com a família que depende do roubo para sobreviver.
Deve ser notado que muitos paradoxos dependem de uma suposição essencial: que a linguagem (falada, visual ou matemática) modela de forma acurada a realidade que descreve. Em física quântica, muitos comportamentos paradoxais podem ser observados (o princípio da incerteza de Heisenberg, por exemplo) e alguns já foram atribuídos ocasionalmente às limitações inerentes da linguagem e dos modelos científicos. Alfred Korzybski, que fundou o estudo da Semântica Geral, resume o conceito simplesmente declarando que, "O mapa não é o território". Um exemplo comum das limitações da linguagem são algumas formas do verbo "ser". "Ser" não é definido claramente (a área de estudos filosóficos chamada ontologia ainda não produziu um significado concreto) e assim se uma declaração incluir "ser" com um elemento essencial, ela pode estar sujeita a paradoxos.

quinta-feira, 26 de novembro de 2015

Só Palavreando e Refletindo sobre essas Palavras Juntas: AÇÃO DE GRAÇAS


Significado do Dia de Ação de Graças



O que é o Dia de Ação de Graças:

Dia de Ação de Graças (conhecido em inglês como Thanksgiving Day) é um feriado celebrado maioritariamente nos Estados Unidos e Canadá. Nos Estados Unidos é celebrado na quarta Quinta-feira de Novembro, e no Canadá, na segunda Segunda-feira de Outubro.
Como o próprio nome diz, o Dia de Ação de Graças é um dia onde as pessoas se juntam para demonstrarem a sua gratidão a Deus pelas bênçãos recebidas durante o ano, expressando também carinho pelos seus amigos e familiares. Este é um dos feriados mais importantes dos Estados Unidos e Canadá, juntamente com o Natal e a Passagem de Ano.
O Dia de Ação de Graças é um feriado familiar, onde é normal realizar longas viagens para que os parentes estejam reunidos. Outra grande tradição deste feriado é a comida. As famílias celebram este dia com muita fartura gastronômica, onde tipicamente se come peru (por isso também é conhecido como Turkey Day - Dia do Peru), batata-doce, purê de batata, torta de abóbora, torta de maçã, torta de nozes, entre muitas outras coisas.
Origem do Dia de Ação de Graças
Os primeiro Dia de Ação de Graças foi celebrado nos Estados Unidos em 1620 em Plymouth, Massachusetts, pelos peregrinos fundadores da vila.
Depois das colheitas terem sido gravemente prejudicadas pelo Inverno rigoroso, os colonos tiveram uma boa colheita de milho no Verão seguinte, em 1621. Para marcar e celebrar a ocasião depois de sucessivos anos complicados no que diz respeito à agricultura, o governador da vila resolveu organizar uma festa no Outono de 1621. Nessa festa participaram cerca de 90 índios e foram comidos patos, perus, peixes e milho. A partir desse ano, na Nova Inglaterra, em cada Outono era organizada uma festa de gratidão a Deus, por causa das boas colheitas.
Em 1863, Abraham Lincoln (presidente na época) anunciou que a quarta quinta-feira de Novembro seria conhecida como o Dia Nacional de Ação de Graças.
Curiosidades sobre o Dia de Ação de Graças
Existe uma cerimônia no Dia de Ação de Graças, onde o Presidente americano em exercício perdoa dois perus (um oficial e um reserva), salvando assim os animais do mesmo destino dos outros 46 milhões de perus - a estimativa de perus que são consumidos durante o feriado.
O Dia de Ação de Graças é também muito conhecido por grandes desfiles. O mais conhecido desfile de todos é o da Macy's em Nova Iorque, onde participam centenas de figuras mediáticas e personagens do mundo infantil e da fantasia como Mickey, Homem Aranha, entre outros. No Dia de Ação de Graças também é disputado um jogo de futebol americano, um dos esportes mais apreciados nos Estados Unidos.

A Sexta-feira depois do dia de Ação de Graças é conhecida como Black Friday (Sexta-feira Negra em português). Nesse dia, várias lojas fazem promoções surpreendentes, e por esse motivo, as lojas ficam superlotadas, de tal forma que todos os anos, há sempre casos de confrontos entre clientes que lutam tentando obter os mesmos produtos, ou pessoas que passam mal por estarem nesse tipo de condições adversas.

Site base de onde foi extraída a matéria:
http://www.significados.com.br/dia-de-acao-de-gracas/

 E o penso sobre o assunto:
 http://eunoseossinos.blogspot.com.br/2015/11/srs-sinos-dia-de-acoes-e-graca-pra-mim.html

Catiaho Alc.

sábado, 31 de outubro de 2015

Am bi gui da de, será?








O que é Ambiguidade:

Ambiguidade é a qualidade ou estado do que é ambíguo,             ou seja, aquilo que pode ter mais do que um sentido                                   ou significado.
a falta de clareza em uma expressão.                                              
 Exemplo: “Pedro disse ao amigo que havia chegado”.                          
  (Quem havia chegado? Pedro ou o amigo?).

Ambiguidade Lexical e Estrutural

Uma expressão ou texto ambíguo pode se apresentar de duas formas: ambiguidade estrutural e ambiguidade lexical.
estrutural provoca ambiguidade por causa da posição das palavras em um enunciado, gerando uma má compreensão do seu significado.
Exemplo: “O celular se tornou um grande aliado do homem, mas esse nem sempre realize todas as suas tarefas”.
As palavras “esse” e “suas” podem se referir tanto ao celular, quanto ao homem, dificultando a direta interpretação da frase e causando ambiguidade.
ambiguidade lexical é quando uma determinada palavra assume dois ou mais significados, como acontece com a polissemia, por exemplo.
Exemplo: “O rapaz pediu um prato ao garçom”.
No exemplo acima, a palavra “prato” pode se referir ao objeto onde se coloca a comida ou à um tipo de refeição.

Ambiguidade ou anfibologia

Na gramática, ambiguidade ou anfibologia é todo duplo sentido causado pela má construção da frase.
A função da ambiguidade é sugerir significados diversos para uma mesma mensagem. É uma figura de palavra e de construção.
Embora funcione como recurso estilístico, a ambiguidade também pode ser um vício de linguagem, que decorre da má colocação da palavra na frase. Nesse caso, compromete o significado da frase.
Exemplos:
"Maria comeu um doce e sua irmã também". (Maria comeu um doce, e sua irmã também).
"Mataram o porco do meu tio". (Mataram o porco que era do meu tio).
"O guarda deteve o suspeito em sua casa". (Na casa de quem: do guarda ou do suspeito?).

Ambiguidade e Polissemia

O fato de uma palavra ter muitas significações é também chamado de polissemia.
A palavra “vela”, por exemplo, pode fazer referência à vela de barco, vela de cera (que serve para iluminar), ou pode ser a conjugação do verbo velar, que significa “estar vigilante”
.

segunda-feira, 7 de setembro de 2015

Só Palavreando e Refletindo sobre o Adverbio de Negação NÃO ( + vídeo).

  Antes de prosseguir nesse nosso Palavreando, quero deixar claro aqui: Não sou doutora em língua portuguesa, nem em gramática.
Sou apenas uma mulher poeta, formadora de opinião e envolvida com a PALAVRA  crendo piamente que A PALAVRA move o mundo, move pessoas e movimenta mentes.
Muitos proferem palavras sem pensar na seriedade de espalhar as mais variadas sementes por toda parte e em qualquer lugar.
Foi pensando nesse assunto que comecei a observar  como um costume se estabelecendo em nossa linguagem.
O uso do adverbio de negação NÃO para dar início a qualquer conversa ou resposta. 
Comecei essa observação assistindo programas de televisão, entrevistas e falas de jornalistas.
 Daí para que pegasse no mesmo hábito por todo lugar como supermercado, salão de beleza e outros;
foi um pulo e passei a nomear de vício de linguagem.
Ex.:
-Você vai viajar agora?
-Não, vou viajar agora sim.
-Vamos correr amanhã?
-Não, vamos correr sim.
Essa minha observação se tornou uma pesquisa e para seguir com ela quero contar com o auxilio de vocês que por aqui lêem, pode ser?
Que acham? Será que o Não entrou na Inversão de Significado como tantas palavras de nosso vocabulário e agora iniciar uma frase com o NÃO é um tipo de afirmação?
Belo mês de setembro pra nós todos!
Catiaho Alc.

Obs: Abaixo
um vídeo da Banda mais Bonita Cidade com a  PALAVRA NÃO e o adverbio de negação a meu ver  muito bem colocada musicalmente

E aqui mais embaixo a famosa Tabela de 

Classificação dos advérbios 

TIPOADVÉRBIOLOCUÇÃO ADVERBIAL
1. AfirmaçãoCertamente, sim, realmente
Ex: Sim, você está certo
Com certeza, sem dúvida, de fato
Ex: Com certeza, só Deus sabe
2. IntensidadeDemais, mais, menos, pouco, quanto
Ex: Quanto mais você sofre, mais ele ri.
De pouco, de todo, em excesso
Ex: Nada em excesso faz bem.
3. LugarAcima, onde, defronte, aí, aqui, acolá
Ex; Bem acima, fica a fonte
À distancia, em cima, por ali, por dentro
Ex; O bolo está em cima da mesa
4. DúvidaTalvez, quiçá, decerto, acaso.
Ex; Talvez eu vá amanhã. Mas telefono amanhã
5. NegaçãoNão
Ex: Não me leve a mal, mas isto não está certo.
De jeito algum, de jeito nenhum, de forma alguma
Ex: minha filha não vai à festa de jeito nenhum
6. ModoBem, mal, depressa, por, melhor, terminados em mente
Ex; Finalmente o jogo acabou
Às vezes, de repente, de quando, vez por outra
Ex: Com tantas lutas,!as vezes é necessário mudar de opinião.

Advérbios interrogativos

São os advérbios utilizados nas interrogações diretas e indiretamente indicando causa, tempo ou modo:
  • a – Lugar: onde? Ex: Onde você foi? – preciso
  • b – Causa: por que? Ex: Por que você não me disse logo?
  • c – Tempo: quando? Ex:  Quando será a festa?
  • d – Modo: como? Ex: Mas, como isto foi acontecer?